Inovação

Conheça 5 ferramentas atualizadas da Microsoft para desenvolver soluções

Conhecer as ferramentas mais importantes para desenvolver um bom trabalho é fundamental em qualquer setor. As plataformas da Microsoft fazem parte do desenvolvimento de soluções digitais e passam por mudanças constantes de atualização.

Mas o que o desenvolvedor precisa saber para explorá-las melhor? Neste artigo, vamos apresentar 5 opções de ferramentas atualizadas para Azure, Windows, entre outros produtos da Microsoft. Confira a seguir!

Faça a transição para .NET 5

O lançamento do novo .NET 5 no final de 2020 trouxe um grande desafio para os desenvolvedores que usam o .NET para a criação de códigos. Eles precisam mudar do antigo .NET Framework para o .NET Core.

Nessa transição, faz sentido unir as duas vertentes, ainda que seja necessário se livrar da integração de APIs mais antigas. Isso porque algumas delas mudam para implementações da comunidade, enquanto outras recebem opções mais modernas, de acordo com as ações da Microsoft no repositório .NET GitHub.

Quem oferece suporte e desenvolve pelo .NET Framework encontra no .NET 5 uma oportunidade para se adaptar à forma como o código será entregue no futuro. A versão atual do .NET Core 3.1 de suporte é de longo prazo e, com as bibliotecas do .NET Standard, consegue se adequar a muitas APIs da nova versão. Além de explorar as alterações que precisam ser feitas no código, permite também criar um novo conjunto de ferramentas.

Mas o que esperar do futuro do .NET? O cenário se dirige para um ambiente inovador multiplataformas, com Blazor no WebAssembly e server-side via ASP.NET e Razor, .NET Core no Windows, macOS e Linux; e Xamarin em dispositivos móveis.

Ao migrar para o .NET 5, o desenvolvedor não só oferece suporte para as versões seguintes do Windows, mas consegue entregar os códigos para plataformas e usuários mais diversificados.

Comece a explorar o WinUI 3.0

Com as mudanças da plataforma Windows, a Microsoft passa a dividir o Windows SDK em dois. Os componentes da interface do usuário são separados no WinUI e os recursos de open source são abandonados.

Na nova versão WinUI 3.0, esses componentes podem ser enviados com novos controles, conforme forem lançados. Eles agora têm suporte para uso em aplicações Win32 e WinForms, além de aplicações da Plataforma Universal do Windows (UWP).

O WinUI 3.0 também apresenta suporte para navegadores modernos, como o novo Edge. Isso graças a uma parceria com a Plataforma Uno, portando controles para o WebAssembly. Assim, a biblioteca atingirá um público mais amplo.

As aplicações existentes da UWP poderão usar o WinUI 3.0 com alterações mínimas. Além disso, o código C ++ poderá usar novos controles para adicionar suporte à linguagem de design Fluent da Microsoft.

Use o AKS para aplicações nativas da nuvem

A criação de aplicações em nuvem modernas leva a desenvolver soluções distribuídas com base em microsserviços, implantar código em contêiner — quando e onde for necessário — e gerenciar recursos para responder à demanda. Assim, surge a necessidade de um orquestrador para gestão de escala e implantação.

É possível implementar o Kubernetes, a partir dos arquivos de configuração do kubectl e YAML. Mas o Azure traz uma alternativa: uma opção gerenciada com o Azure Kubernetes Service (AKS) para contêineres Linux e Windows .

O uso do portal do Azure, com acesso aos recursos de rede da plataforma e possibilidade de trabalho com outras ferramentas, simplifica a implementação de aplicações e serviços em contêineres. O controle de acesso por função para bloquear acesso a recursos é outra opção, reduzindo seus riscos de segurança.

O AKS escala automaticamente o cluster Kubernetes e se integra às ferramentas de monitoramento do Azure, Assim, o desenvolvedor pode acompanhar de perto as operações de serviço. A mistura de uma plataforma Kubernetes pura com o portal do Azure permite que a integração de serviço de ambos simplifique as operações.

Na criação de aplicações Kubernetes no Azure não há alternativa, especialmente quando se consideram serviços como o Azure Dev Spaces. Com base no AKS, o Dev Spaces oferece um ambiente privado e seguro para criar, testar e depurar o código nativo da nuvem sem afetar os serviços de produção.

Desenvolva para a nuvem com WSL 2 e Docker

As plataformas da Microsoft têm evoluído, oferecendo acesso rápido a linguagens populares como Python, um editor de programação para fácil personalização no Visual Studio Code, um novo Terminal do Windows e, principalmente, o Windows Subsystem for Linux (WSL).

Em breve, o último ganha uma atualização com seu próprio kernel Linux para o Windows. Com o objetivo de simplificar a criação e teste de aplicações em nuvem em computadores, o WSL 2 inclui também um sistema de arquivos Linux para acesso no Windows e suporte para edição remota pelo Visual Studio Code.

O Docker já disponibilizou uma atualização do Desktop Docker para a nova versão. Com isso, o Windows ganha suporte nativo ao contêiner Linux, usando dockerfiles para criar e implantar instâncias locais de contêiner e o Code para trabalhar diretamente com seus conteúdos.

A combinação de Windows, Linux e Docker fornece uma base flexível para criar um poderoso conjunto de ferramentas de ponta a ponta, que usa o potencial completo de cada plataforma e oferece flexibilidade na forma de trabalhar, continuando a entregar código para repositórios comuns.

IoT segura com o Azure Sphere

O Azure Sphere é a plataforma da Microsoft para uma IoT segura. Ela combina segurança em hardware com um kernel do Linux personalizado e uma plataforma de gerenciamento em nuvem para evitar a violação do sistema operacional e das aplicações em execução. Isso evita também que o código possa ser alterado ou inserido por terceiros mal-intencionados.

O Azure Sphere já está pronto para uso, com módulos e SOCs disponíveis para produção. Assim, é possível criar seu próprio hardware em torno da plataforma. E não é necessário novas ferramentas, porque todo o desenvolvimento do Azure Sphere ocorre no Visual Studio.

Uma das melhorias mais interessantes é um conjunto de unidades protetoras que podem trabalhar com os controladores industriais existentes, adicionando uma camada de proteção ao integrar CLPs e outros sistemas com as aplicações. Com isso, é possível conectar dispositivos que já foram considerados arriscados para uma plataforma IoT no passado.

Essas são as cinco soluções atualizadas para Windows que consideramos importantes para o trabalho de um desenvolvedor: .NET 5, WinUI 3.0 , AKS, WSL 2 com Docker e Azure Sphere. Quer mais dicas para desenvolver soluções e aplicativos de qualidade? Então confira outros artigos aqui no blog!