InovaçãoAI

IA: um algoritmo como colega de trabalho

A transformação digital e a inteligência artificial andam juntas e, hoje, a IA já pode substituir algumas atividades humanas. Ao mesmo tempo, a tecnologia vem para apoiar os profissionais, colaborando para um melhor desempenho em suas funções diárias.

Automações, por exemplo, conseguem otimizar muito a produtividade de um colaborador. Com a inteligência artificial substituindo atividades simples, o fator humano entra para resolver problemas complexos e que demandam uma lógica que a tecnologia ainda não dá conta. 

No post de hoje, falamos mais sobre como a IA pode ser um excelente colega de trabalho para as pessoas. Confira!

Como aliar a IA ao trabalho humano?

Alguns trabalhos podem sim ser substituídos pela inteligência artificial no futuro, só que, mais do que isso, ela terá um papel fundamental em ajudar os profissionais a otimizarem sua eficiência e em reduzir os erros humanos. 

Além disso, a tecnologia pode contribuir para trabalhos manuais e braçais, que demandam grande esforço físico. Com isso a IA melhora, inclusive, a qualidade de vida desses colaboradores no trabalho.  

Por isso, uma das exigências do mercado será a interação entre humanos e máquinas. A IA deve se tornar a nova colega de trabalho de muitos profissionais, o que não quer dizer que ela ocupará o cargo dessas pessoas. 

As automações, por exemplo, já são uma realidade e podem eliminar muito do trabalho burocrático. Diversas áreas já trabalham com sistemas para agilizar processos e tirar a sobrecarga dos colaboradores. Nos próximos anos, isso se tornará ainda mais presente no dia a dia das empresas de praticamente todos os setores.

A IA chega para entender como funcionam as dinâmicas do trabalho e atuar a partir de dados precisos, oferecendo respostas que os colaboradores podem não ter de pronto. Com isso, os profissionais terão mais tempo para se dedicarem a atividades que apenas o aspecto humano dá conta. Assim, a tecnologia seria usada não para substituir uma pessoa, mas para fornecer todo o auxílio necessário para uma excelente execução do trabalho e para melhores tomadas de decisão.  

É possível confiar na IA?

Com a transformação digital tomando conta dos processos, é natural que as empresas se questionem sobre o quão confiável é contar com a inteligência artificial. Principalmente se a IA desempenhar um papel fundamental nas decisões sobre os rumos do negócio. 

Nesse caso, tanto a lógica humana quanto a das máquinas devem ser levadas em consideração. Afinal, a tecnologia pode apontar caminhos não identificáveis pela expertise do profissional, com base em históricos e probabilidade, por exemplo. Além disso, a IA pode tornar alguns processos mais objetivos. Isso é particularmente interessante para as atividades que não devem ser afetadas pelo aspecto emocional.

Ao mesmo tempo, como toda a máquina, a inteligência artificial pode cometer erros e apontar caminhos equivocados. Por isso, a figura de um profissional competente é fundamental para trabalhar lado a lado com a IA e contextualizar as decisões. 

O colaborador também precisa saber discernir os momentos nos quais deve seguir a IA e em quais isso não faz sentido. O importante, aqui, é não confiar cegamente no que a tecnologia apresenta, mas ponderar sobre o que ela oferece e usufruir dos benefícios que ela traz. 

Como se preparar para trabalhar em conjunto com a IA 

Hoje a interação entre os profissionais e a inteligência artificial já é uma realidade em muitas empresas, mesmo que os colaboradores nem se deem conta disso. Ao mesmo tempo, essa relação tem ficado mais refinada, a exemplo dos comandos de voz, como a Siri e a Alexa. A tendência é que esse tipo de tecnologia tome conta também do ambiente de trabalho no futuro. 

Como dissemos, a IA não vai substituir todos os trabalhos, mesmo porque o fator humano é bastante necessário para diversas atividades. A intuição de um profissional capacitado na resolução de problemas, por exemplo, não pode ser executada por uma máquina. Ao mesmo tempo, a IA consegue lidar com um volume grande de dados em uma velocidade que o cérebro humano não é capaz de processar. 

No fim, as pessoas e a inteligência artificial têm, cada uma, os seus pontos fortes. Por isso, o trabalho em conjunto só tende a trazer bons frutos para a performance dos colaboradores dentro das empresas. É importante ressaltar, no entanto, que os profissionais precisam ser treinados pelos gestores para lidar com as inovações tecnológicas. Além disso, o ideal é que eles tenham a habilidade necessária para tomar decisões inteligentes e serem criativos. 

Quais áreas serão impactadas pela IA

A transformação digital já está revolucionando o universo do trabalho. Diversas áreas devem se beneficiar da inteligência artificial, como a engenharia, a medicina, o design, o mercado de seguros e o marketing, por exemplo. As fábricas e as lojas que trabalham com estoque também podem se beneficiar de robôs capazes de deslocar um grande volume de objetos ou itens mais pesados de uma vez. 

Como falamos, o setor de seguros também deve se beneficiar muito com a inteligência artificial. A IA permite desenvolver um processamento de dados mais rápido e eficiente. Com base em algoritmos inteligentes, as empresas conseguem personalizar propostas de forma mais assertiva e oferecer soluções que resolvam, de fato, a dor dos seus clientes. Isso economiza tempo de ambas as partes, além de aumentar a satisfação do consumidor, que verá sua expectativa ser atendida. 

Por fim, as automações que vem com a IA também permitem um atendimento muito mais rápido, impactando positivamente na percepção do cliente sobre as marcas e desafogando as demandas dos colaboradores. Com o desenvolvimento da IA, os profissionais terão uma performance orientada por dados e vão ver, na tecnologia, uma aliada no trabalho.

E você, como está preparando o seu negócio para a inteligência artificial?

Se você gostou deste conteúdo, que tal acompanhar o nosso blog para mais artigos como este? Continue lendo os posts!